n° de visitantes

Leitores

terça-feira, 25 de maio de 2010

Nascença


Aconteça o que acontecer eu sempre continuarei sendo Helena. Vem cá, o que você está procurando aqui? Não sei, mas minhas palavras te dizem: Bem vindo, entre e sinta. Aconteça o que acontecer, por aqui sempre existirá palavras, sentidos e momentos eternizados. Porque escrever me consome. Me liberta. Me permite continuar sendo. Porque quando o silêncio acorda é preciso trabalhar, colocar em prática, traduzir e ser. Ser você mesmo para poder seguir.

Essa Helena que não foi acostumada a dizer costuma errar no que é para ser dito. Quase nunca acerta e costuma ter memória seletiva - mesmo preferindo que fosse seleção natural - para, então, poder continuar. Porque é preciso ligar o botão verde, dar aquele passo que faltava, colocar a mochila nas costas, as coisas nos lugar, deixar o e-mail de lado e ir. Sem culpa, sem medo, sem certezas, sem nada. Apenas esperando o ''acontecer''.

Os loucos se identificam: mostram-se, dão a cara a tapa, escrevem e se alimentam de palavras cheias delas mesmas. E eu gosto de gente como eu. Quer saber? Não há espaço para pontuar defeitos. O Chronos está cobrando cada vez mais. Os dias que antes se passavam arrastados hoje já acordam noite. Pessoas que acreditávamos que conhecíamos são passado. Há no instante apenas a essência, mesmo assim, inconstante. Por tanto, me faça uma favor? Deixa eu continuar lúcida, meiga, linda, louca, frágil e sem respostas. Prefiro a incerteza ao tédio. Ao menos, a incerteza vive, tem vida própria, ela é. Não acorda em mim um espaço que meu ego não quer preencher. Que o meu orgulho não aceita.

Sou várias Helenas e converso com meus botões de tal modo a me desafiar. Fico indignada com a tal falta de Respeito. Gente hipócrita e insensível. Para mim a pior coisa que existe é a fome. Tenho um sonho louco de conhecer o povo Palestino. Porque eu já disse, há uma Helena em cada esquina - da minha alma - descobrindo e escrevendo destinos.

Poder escrever não é um Dom. É talento lapidado. E talento não nasce, aflora. Quando menos se espera, um descobrir, um ato de ser. Aí você acorda, olha pra dentro e se descobre. Assim, em um tom bonito e alegre. Qualquer azul desbotado vira amanhecer. Qualquer sentir é mágico. E viver, inesquecível. Aconteça o que acontecer eu sempre vou habitar as várias Helenas, permitindo ser o que elas quiserem.

5 comentários:

alice disse...

vou ter q comenta... q texto lindo...
ja te disse ne?? sou seguidora!!
bjao pavao(desiterrei essa)

maria luiza disse...

"Os loucos se indentificam!"

por isso estou aqui!!!

Liiindooo!

Rafael sem h disse...

e se vem "idade das trevas" quem liga? Renascença nela!

Luis disse...

Ela sabe comover !! ;)
D+ Heleninha ! adoroo ;**

Thiago Vendramin disse...

Escrever não é dom... É o nosso castigo.! Antes fosse um desses vicios, q se compra em qualquer esquina. Antes fosse sexo casual, de urgencia e pós copula, culpa. Mas escrever, é o que há de melhor e pior. O castigo de quem tem a sí mesmo como pior carrasco!