n° de visitantes

Leitores

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Cadê a poesia?

Roubaram-me os sentidos!

Esconderam minhas mãos

Mataram alguma verdade

Fugiram de mim.

Cadê a poesia?

Está

No frio vento de hoje?

Na incerteza de amanhã?

Naquilo que você não pode me dar?

Onde foi parar o eu-lírico (...)

Na cabeceira de um sonho,

No toque do momento,

Na fragilidade que me custa caro

A poesia é traidora

Devassa e usa azul escuro

Generosamente inventada

para traduzir mas não fala

Onde foi parar a poesia

Que (tanto) me faltava?


Minha poesia está muda no barulho do dia-a-dia.
Traduzindo: Será que alguém aí fora pode gritar?

(enquanto eu faço versos a lua está ali, linda, um luxo!)

27/05/2010







3 comentários:

maria luiza disse...

eu grito: ahhhhhhhhhhhhh
e digo: o azul escuro que o céu veste tras a chuva e apos a chuva o sol aparece novamente!!!
Ficou lindo!!
Parabens, Lova...

Rafael sem h disse...

Gritaaaaaaaaaaaaaa....pra serenar!
Choveeeeeeeeeeeeee....pro sol sair.

: )

Thávia disse...

AAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

Por que azul escuro?