n° de visitantes

Leitores

sábado, 5 de janeiro de 2008

O peso das mãos


A gente tem mania de achar tudo.Achamos que fulano não vai com a nossa cara. Que beltrano não enxerga o erro que está cometendo.Achamos que temos que dar satisfação. Achamos sem procurar a verdade. E no final, não achamos nada. Eu mesma costumo achar um tanto de coisa. E me pergunto o dia inteiro: Porque? Porque isso? Porque daquilo?

Eu me peguei perguntando sobre mim. O que eu quero, de mim, por agora.
Sim, novo ano. E as pessoas tem uma mania - ridícula - de colocar o ano que passou na balança. Esperando que o erro pese menos e que os acertos sejão multiplicados no novo ano que virá. Bobagem. Drummond escreveu que a idéia de dividir o ano em 12 meses foi genial. E foi. Mas fazer balanço da vida depois do Reveillon (é da vida sim, não dianta dizer que foi do ano) me dá sono. Tenho profunda admiração de quem consegue, porque, eu sempre tento. Tiro um proveito de lá e cá mas no final do ano que virá é sempre a mesma coisa: Balança desregulada.

Esse ano não vou pesar nada. Não quero me perguntar se meus planos vão ou não dar certo. Quero viver com a alma simples e um coração sem dieta. E quando falo de coração não falo de amor. (Cá pra nós, a gente já sabe que um não tem nada a ver com o outro). Quando falo de coração expresso vida. E para essa minha vida que vem por aí, de doze meses, quero um mundo menos ordinário. Comida na mesa, papéis e o meu maior presente, O imaginário.
Que 200 8) nos traga muito trabalho.







4 comentários:

Ludmilla disse...

A cada dia suas palavras crescem mais e mais,e se tornam mais vivas em mim.

Adoro mil.


;D


beijos gatcha.=*

rosysimplesmente disse...

Quando devoro seus poemas...

Uma música penetra na minha alma...
tão calma...
me faz sorrir...

quase dormir...
me faz pensar em ti...

em tudo que eu li...
nas tuas palavras de papel...

que me esvoaçaram feito véu...
que me atrapalharam a visão...

e me encheram de ilusão...

Poetiza...sabes que toca fundo...
colorindo o mundo...
alegrando corações...

rosysimplesmente disse...

Quando devoro seus poemas...

Uma música penetra na minha alma...
tão calma...
me faz sorrir...

quase dormir...
me faz pensar em ti...

em tudo que eu li...
nas tuas palavras de papel...

que me esvoaçaram feito véu...
que me atrapalharam a visão...

e me encheram de ilusão...

Poetiza...sabes que toca fundo...
colorindo o mundo...
alegrando corações...

rosysimplesmente disse...

Quando devoro seus poemas...

Uma música penetra na minha alma...
tão calma...
me faz sorrir...

quase dormir...
me faz pensar em ti...

em tudo que eu li...
nas tuas palavras de papel...

que me esvoaçaram feito véu...
que me atrapalharam a visão...

e me encheram de ilusão...

Poetiza...sabes que toca fundo...
colorindo o mundo...
alegrando corações...